sexta-feira, abril 28, 2006

Famafest 2006

Illustration by Russell Mills for A SAMUEL BECKETT READER Pan Books 1983.gif

The farther he goes the more good it does me. I don’t want philosophies, tracts, dogmas, creeds, ways out, truths, answers, nothing from the bargain basement. He is the most courageous, remorseless writer going and the more he grinds my nose in the shit the more I am grateful to him.
He’s not f---ing me about, he’s not leading me up any garden path, he’s not slipping me a wink, he’s not flogging me a remedy or a path or a revelation or a basinful of breadcrumbs, he’s not selling me anything I don’t want to buy — he doesn’t give a bollock whether I buy or not — he hasn’t got his hand over his heart. Well, I’ll buy his goods, hook, line and sinker, because he leaves no stone unturned and no maggot lonely. He brings forth a body of beauty. His work is beautiful.
-- HAROLD PINTER


Estes são apenas dois dos escritores que o Famafest vai homenagear este ano. De 28 de Abril a 6 de Maio, em Famalicão. Cinema e literatura. Mas devo dizer ainda..., que o Lauro António é o director do Famafest, que este é um dos melhores festivais internacionais de cinema, que a programação deste ano é absolutamente extraordinária porque inclui 19 inéditos de peças de Beckett adaptadas ao cinema e cerca de 20 filmes escritos, representados ou realizados por Harold Pinter, que haverá um ciclo Charles Dickens e outro ciclo Agatha Christie, que existem 36 obras a concurso oriundas de mais de 20 países, e animação para a pequenada e ... eu deveria dizer ainda mais, mas digo depois de passar por lá!

Links 1, 2, 3, 4 e 5.

quarta-feira, abril 26, 2006

lições de francês e de cimento


Lylia Cornelia

Em casa da minha avó todos se sentavam à mesma mesa. Não havia patrões e empregados, adultos e crianças, homens e mulheres. Havia todos à mesa! porque todos trabalhavam.

Eu era a mais nova e tinha um estatuto um bocado diferente porque também estudava, e acho que todos estavam convencidos de que eu ia estudar muito e por muito tempo.
Pelo menos era assim que eu sentia que o Narciso pensava.

O Narciso tinha os olhos verdes mais bonitos que eu jamais vira e era moreno e no Verão tirava a camisola e ficava em tronco nú. Era tímido e se bem me lembro baixava muitas vezes os olhos quando falava. Eu sonhava que ele me amava e amava-o contra todas as barreiras sociais dramas injustiças azares misérias que inventava. Os meios olhares intensos e ternos davam-me certezas.

Para poder estar com ele interessei-me por cimento, areia, água, enxada, como fazer um círculo no meio e ir misturando os ingredientes da massa que colava os tijolos nos muros que era necessário construir por ali, galinheiro, curral, eira, pátio, quintal e fim do quintal, e o outro quintal.

E depois íamos trocando palavras, cautelosamente. Ovídio, poeira, menina não se suje, entrei na desfolhada, saiu-lhe o milho-rei?, uvas e ramadas, vinho americano, a massa tem água a mais, já me distraí!, vou buscar bebidas. Um dia ele pediu-me que o ensinasse a falar francês. A irmã, que tinha ido apanhar laranjas para a Bélgica, acabara colhendo noivo e bilhete de ida sem volta. E o Narciso queria fazer boa figura no casório.

Lições de cimento e de francês. que duraram algumas semanas. Só isso. mas nunca mais esqueci.

sugestão



Sugestão: abrir armários em Serralves.

sábado, abril 22, 2006



THERE IS NO ONE TO PLEASE BUT... ?

terça-feira, abril 18, 2006

Borofsky
God on the floor



e quando morremos, deus vai para onde?
é enterrado connosco
ou fica à superfície, colado aos pés dos que nos velam?

por que é ele invisível? para não tropeçarmos? ou para cair(mos) mais depressa?


a sua existência é uma ilusão |lógica|
|crêr em ilusões é negar a existência de deus?|

como dizer?
a vida
ACABOU


e é tudo
e é nada

quinta-feira, abril 06, 2006

V Edição do concurso O Escritor Famoso - Actos de Cinema

CONVITE


PARTICIPA COM UM TEXTO DA TUA AUTORIA

Organização: Divas & Contrabaixos
Arquivo e Galeria: O Escritor Famoso